terça-feira, 30 de setembro de 2008

Boys and Girls.

Amor.





Sabe que ate hoje eu não sei o que é o amor, amor mesmo, sabe aqueles que você enlouquece pensando, num dorme a noite com vontade de sentir de novo aquele sentimento, é complicado pensar nisso, porque quando eu começo a pensar vem um monte de perguntas na minha cabeça, tipo, porque sentir amor, se um dia vai acabar?Ta, talvez não acabe, mas será q acaba?!
Porque saber se aquela pessoa te ama também? e se talvez, não de certo?
Muitas coisas... E também começo a pensar, como vou amar alguém sendo que ta tão difícil conseguir uma pessoa que realmente mereça meu amor, porque eu acho que o amor não é uma coisa que você entrega tipo um presente, é uma coisa que você sente por alguém que realmente mereça...
Talvez daqui um tempo eu consiga sentir isso realmente por alguém, pois ultimamente, acho muito difícil, pois todo mundo quer curtir e eu também quero, acho que existe uma hora que você sente que precisa desse sentimento.
Não se sentirei, pode ser que sinto, não sei, tanto que amor é uma das coisas que você não sendo quando quer, você sente quando menos espera!...
Mas, o amor é lindo e vale realmente a pena curtir cada momento com a pessoa que você ama, que você tem certeza que ama, se não tem certeza não fala que ama, fala que gosta muito.
Não de esperanças, quando não tem certeza, mas como eu sempre digo “ninguém sabe o futuro!”.
Ahhh e também tem uma diferença entre amor e paixão, não esqueça...
Depois termino de escrever... Beijos!!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Saudade.

Eu particularmente não gosto de sentir saudade, acho que é ruim demais, dói, é como se alguém pegasse e apertasse seu coração até você sentir que vai parar e quando ele quase para, ele volta e dolorido você chora de dor.
Quando era menor achava que ninguém morreria, principalmente mãe e pai, achava que eles eram pra sempre, quase um conto de fadas, a mãe e o pai, tinha vida eterna, e ai a filha, casa e vive feliz pra sempre, podendo visitar a mãe e o pai sempre que quisesse.
Era só estória e eu acreditava, depois você cresce e vê que o mundo não é nada daquilo que você sonhou, aquilo que você via na t.v., é tudo muito diferente.
Quando eu era mais nova, meu pai tinha um bar e eu vivia lá, era tão legal, eu saia de casa ia pra lá, almoçava com a minha mãe, depois saia e ia pra escola, ai na volta passávamos num carrinho de lanche e comprávamos coisas pra comer, e íamos comendo, ai chegava no bar, porque eu ia embora só com a minha mãe e meu pai, quando eu chegava no bar, ia direto para a cozinha que praticamente era sala junta, ai minha mãe ia pra lá também e ficava conversando por horas, sobre tudo, eu contava as minhas coisas, e ela me contava as coisas dela, as fofocas de família ou simplesmente eu e ela ficamos juntinhas só vendo t.v. Resumindo nós conversávamos muito.
A minha mãe sempre se importava sobre o meu futuro, e ela era a pessoa que eu falava “mãe, quero ser isso!” E ela “você vai conseguir!”.
Mas, acho que uma das coisas mais tristes de sentir saudade, é quando você não pode acabar com ela, não tem como acabar, eu tenho só metade do meu coração, uma boa parte dele e uma boa parte da Sarah não existe mais e provavelmente não irá mais existir.