segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Saudade.

Eu particularmente não gosto de sentir saudade, acho que é ruim demais, dói, é como se alguém pegasse e apertasse seu coração até você sentir que vai parar e quando ele quase para, ele volta e dolorido você chora de dor.
Quando era menor achava que ninguém morreria, principalmente mãe e pai, achava que eles eram pra sempre, quase um conto de fadas, a mãe e o pai, tinha vida eterna, e ai a filha, casa e vive feliz pra sempre, podendo visitar a mãe e o pai sempre que quisesse.
Era só estória e eu acreditava, depois você cresce e vê que o mundo não é nada daquilo que você sonhou, aquilo que você via na t.v., é tudo muito diferente.
Quando eu era mais nova, meu pai tinha um bar e eu vivia lá, era tão legal, eu saia de casa ia pra lá, almoçava com a minha mãe, depois saia e ia pra escola, ai na volta passávamos num carrinho de lanche e comprávamos coisas pra comer, e íamos comendo, ai chegava no bar, porque eu ia embora só com a minha mãe e meu pai, quando eu chegava no bar, ia direto para a cozinha que praticamente era sala junta, ai minha mãe ia pra lá também e ficava conversando por horas, sobre tudo, eu contava as minhas coisas, e ela me contava as coisas dela, as fofocas de família ou simplesmente eu e ela ficamos juntinhas só vendo t.v. Resumindo nós conversávamos muito.
A minha mãe sempre se importava sobre o meu futuro, e ela era a pessoa que eu falava “mãe, quero ser isso!” E ela “você vai conseguir!”.
Mas, acho que uma das coisas mais tristes de sentir saudade, é quando você não pode acabar com ela, não tem como acabar, eu tenho só metade do meu coração, uma boa parte dele e uma boa parte da Sarah não existe mais e provavelmente não irá mais existir.

3 comentários:

Rob... disse...

é.. eu sou infeliz porque eu quero...
Eu nao sei o que faria no seu lugar...

Roberto Torta disse...

Olá querida Sarah.
estou retribuindo à visita que fez ao meu blog, e estou feliz de estar comentando no seu primeiro post... primeiro a forma como vc escreve é muito sincera, linda, consegui até imaginar as cenas decorrendo na minha mente. Adoraria te entregar a pilula anti-saudade, mas infelizmente ainda não a encontrei. a saudade é uma dor terrivel, nos obriga a engolir nosso coração, um pedaço de cada vez... mas vale lembrar do reencontro... acredito que os Deuses nunca erram, e um dia a sua saudade será substituida pela admiração e pela lembrança, não quero dizer que não vai mais doer, mais vai ser uma dor feliz, uma dor de *que bom que pelo menos eu tive isso* ao invés da dor de *eu ainda quero mais*... sua perda foi terrivel e irreparável, sinto muito mesmo. mas esteja certa que o coração é o músculo mais forte que existe... vc vai aguentar passar por isso e muito mais.... do seu novo amigo Beto.

katia disse...

Oi amorzinha
Fico muito feliz por vc exitir, vc é a prova viva do amor que a mamãe tinha por todas nós, como é bom ler seus pensamentos e descobrir que vc é sem sombra de duvidas uma pessoa complexa e com muito amor no coração, do jeitinho que a mamãe queria que vc fosse, uma mulher linda por dentro e por fora, humilde e que sabe reconhecer suas limitações mas ainda não sabe reconhecer seu potencial, que é enorme e sem limites. Sempre te enxerguei como meu bebê, mas agora sei que vc cresceu e como, me orgulho de vc meu amor e sei, alias tenho certeza que vc nasceu para o sucesso minha princesa, e para ser muito mais muito feliz...Te amo demais e sempre***
bj Tata